Teria os pais culpa por um filho se tornar criminoso?

Há muitos casos de jovens que entram para a vida do crime alegando problemas socioeconômicos, falta de oportunidade, muitos outros por motivos familiares. Alguns outros casos são de jovens de classe média que acabam entrando nesta vida de crime. Mas, será que existe um motivo que explique uma vida criminosa? Para aqueles que alegam problemas familiares o que poderia fazer um pai para mudar isso?
Há famílias que possuem mais de um filho e somente um vira criminoso, partindo que os demais filhos seguiram uma vida digna seus pais teriam culpa nisso? Acredito que não, pois a criação foi a mesma. O que acontece são escolhas diferentes por razões diferentes e, acima de tudo, personalidades diferentes. Talvez, uma atitude diferente para cada tipo de filho seria a solução, talvez...
Por mais que a vida seja dura nada justifica entrar para o crime. Há sempre uma saída, há sempre uma melhor escolha. Aliás, qualquer escolha é melhor do que uma vida criminosa.
Compartilhe este artigo :

+ comentários + 8 comentários

Anitcha
16 de agosto de 2009 07:30

Spertnez, o problema é mais grave e complexo do que a sua simples pergunta. Não temos que achar UM culpado, primeiro porque temos que parar com essa idéia de culpar alguém segundo pq é uma teia de envolvimentos que passa um filho. Desde o seu DNA ao programa de TV que ele assiste. Pois, os pais não são os respnsáveis pela criminalidade do filho, mas são os responsáveis na educação e orientação dos pequenos. Mas já que falamos de pais, posso falar um pouco, porque trabalho com isso. Sou professora e todos, sem xceção, todos os pais, acham que a a ESCOLA é a responsável pela educação das crianças. Os pais modernos não tem tempo, paciência e muito menos habilidade mínima para lidar com uma criança. As pessoas mais velhas costumam dizer que "ah, meu pai me batia, mas me educava, na minha família ninguém se disvirtuou". O problema é que os tempos são outros. Há 30 anos, uma criança não era bombardeada de informações responsabilidades como hoje. Ela não tinha que ser médico para suprir as frustrações de seus pais. No máximo aprendia-se a "tabuada, ler, escrever e fazer contas". Tinha era que aprender a brincar, só isso.
Hoje os pais colocam a criança no inglês, na natação, na aula de música, informática pra que ele não tenha tempo de "fazer coisa errada". mas e tempo dele crescer como criança? E o tempo de ele ter o pai como exemplo???? Tenho um aluno que está no primeiro período, ou seja, é um catatauzinho e a mãe dele disse que não tem a mínima paciência pras perguntas dele e que pagaria o que fosse preciso pra eu fazer isso por ela. O que vc acha disso?
Bom, mas saindo dos pais e voltando ao post, não concordo com o quando vc diz: "Acredito que não, pois a criação foi a mesma." Porque não é a mesma criação, nem gêmeos tem a mesma criação. Posso te falar isso porque tenho 2 primos que tem filhos gêmeos e sempre um deles a mãe carrega mais, ou dá mais atenção, etc... Resumindo,as pessoas tem que fazer uma auto crítica para seber se tem condições de ter um filho, e devemos saber que a responsabilidade é dos pais, dos parentes, do meio, da TV, do consumo, do país, dos amigos, etc, etc, etc... é uma roleta russa, mas graças à deus com uma bala pra um tambor de no mínimo 6 posições.

16 de agosto de 2009 16:55

Anitcha,

é verdade, um filho passa por uma teia de envolvimentos enorme, porém ainda acho os pais os mais próximos em qualquer situação, dada algumas excessões é claro.
Quanto a criação ser a mesma imagino da seguinte forma, se a criação "deu certo" com um ou mais filhos e não com um os pais não tem culpa. Falo isso porque se um pai tiver que interpretar a mentalidade de um filho para trata-lo como o filho quer ele terá que ser mais que um pai, talvez um psicologo. É claro que tem que haver uma harmonia entre pais e filhos, mas os pais são vencedores que passaram por muitas coisas na vida e o filho esta começando agora.
Mas o assunto é extremamente complexo mesmo.

Agora achei muito engraçado a proposta da mãe para você. Nossa ri muito.
Você pode fazer um bico como mãe de aluguel e tirar um extra por fora.

Beijos!!!

Anitcha
18 de agosto de 2009 04:43

Nossa, nem tinha pensado nisso! Acho que vou mesmo ser mãe de aluguel!!! kkkk
Outra coisa, talvez esse choque de um saber demais e outro de menos é que seja o problema. Os pais são maduros pra entender isso e o filho ainda não, mas o que acontece é que tem muito pai imaturo por aí e acha que o filho tem que ser adulto antes do tempo! O pai tem que brincar com os filhos, ter tempo pra ele, não o contrário!

18 de agosto de 2009 08:03

nao acho que depende dos pais. mas sim do local, das pessoas, do que cerca as crianças. tipo tem um rap

la na favela nao existe empresario pra ele se espelhar, a policia vai la somente pra matar só ve miseria tristeza e lamentos.

vi uma reportagem com garotos da favela no rio e eles diziam que os herois deles, as pessoas que eles se espelham e querem ser quando crescer eram os grandes traficantes.

18 de agosto de 2009 10:23

Bah eu cresci na periferia, eu soltava pipa do meu lado tinha um cara fazendo baseado, de outro com um 38 na calça.

Nem por isso to nisso, alias já estou analisando minha pós... e eu não sou 1 entre muitos, pois tenho vários amigos que cresceram da mesma forma...

existe ai vários angulos para se obsevar, mas concerteza os pais são fundamentais!

18 de agosto de 2009 11:42

Gus.... voce apenas soltava pipa com os caras usando droga e armados. alias acho que voce só tomava relo. mas deixa pra la....

Bom soltar pipa com os caras é muito pouco. imagine se a mesma situação dos pipas vc encontrasse nas ruas, mercados, padarias, escolas, feira, farmacia, mocó, becos, campos de futebol, praças, casa, etc. etc, etc, etc

18 de agosto de 2009 12:04

Pior só relo mesmo, kkkk mas era mto loko,

Mas existem varios "boys" ou da classe média, média alta, alta, que basicamente tiveram tudo, não sentiam nem cheio de violência, tristeza ou lamentos, tiveram um estudo de primeira, tiveram todas pessoas para se espelhar, mas mesmo assim o que ocorre? sequesto, assassinato, tráfico dentro das faculdades top de linha. Justo por esses que tiveram a quem se espelhar, por isso não gosto de justificar mto ... há várias variavéis para serem consideradas, mas ter nascido num morro, perto de violência não 'justifica'

Concordo com umas coisas que Anitcha falou, a coisa é bem mais complexa e grave...

20 de agosto de 2009 16:47

total culpa eles nao e sim uma pacela de culpa se tivesse cuidado bem , acoselha - se talves nao vira-se um criminoso

Postar um comentário
 
Traduzido Por : Template Para Blogspot Copyright © 2011. O mundo das idéias - All Rights Reserved
Proudly powered by Blogger